Parabéns ao Mestre: Stanley Kubrick

Hoje é um dia “Iluminado” para os fãs de cinema – E por isso reunimos biografia, filmografia e curiosidades de Stanley Kubrick para o dia de hoje – Em que o diretor faria 85 anos. Então junte seus “drugues” e comemore com a gente

Parabéns ao Mestre: STANLEY KUBRICK

Por: Roberto Honorato

Hoje é dia 26 de Julho, e ha 85 anos nascia em Nova York um dos diretores mais importantes da história.

Tudo poderia ter sido diferente se seu pai não tivesse dado ao filho sua primeira câmera aos 13 anos. Não demorou muito para que Stanley se tornasse um fotógrafo profissional e já trabalhasse regularmente para a revista “Look”, onde começou a se interessar ainda mais por cinema. Mas foi só  se juntar ao seu amigo Alexander Singer, que Kubrick planejou participar deste mundo, e em 1950 fez o documentário Day of the Fight (1951), logo depois vieram outros até fazer seu primeiro trabalho notável: Medo e Desejo em 1953.

Infelizmente, não foi uma experiência agradável para o diretor que terminou seu casamento com Toba Metz, sua namorada desde tempos de colégio. Mesmo assim, foi neste período que ele começou a receber elogios por sua direção, até que Hollywood prestou atenção nele após o lançamento de O Grande Golpe (1956), atenção esta que render a Kubrick a oportunidade de trabalhar com um dos maiores atores da época, Kirk Douglas em não um, mas dois filmes, sendo eles Glória Feita de Sangue (1957) e Spartacus (1960), este segundo trazendo alguns problemas que começaram a mostrar algumas das “manias” de Kubrick.

Douglas chamou Kubrick para tomar conta da produção do filme, esperando que o mesmo não se preocupasse tanto e pudesse se acomodar, mas o que aconteceu foi o contrário, Kubrick acabou tomando conta do projeto e impondo suas ideias e conceitos para o filme, deixando muitos envolvidos no projeto incomodados com com seu estilo; O cinegrafista Russell Mettychegou a reclamar com os produtores que Kubrick estava tomando conta de seu trabalhaho, chegando a afirmar que teria sido mandado “ficar sentado fazendo nada”. Ironicamente, Metty recebeu o Oscar por seu “trabalho”.

Depois disto, o próximo projeto de Kubrick seria dirigir Marlon Brando, mas devido alguns problemas com a negociação, Brando acabou dirigindo o filme, conhecido até como como A Face Oculta (1961).
Desanimado com Hollywood e outro casamento que não deu certo, Kubrick decidiu mudar-se permanentemente para a Inglaterra, onde começou com seus filmes mais marcantes. Começando muito bem com Lolita (1962).
O filme que é baseado na obra mais famosa do escritor Vladimir Nabokov, teve que ser feita com cautela devido ao conteúdo “controverso” da obra e a censura da época, um escorrego e o filme poderia ser um desastre, felizmente é até hoje uma das obras mais adoradas do diretor.
Seu próximo filme foi bem diferente dos anteriores e com um conteúdo tão “controverso” quanto o anterior, uma sátira envolvendo guerra nuclear! Era para ser um drama, mas Kubrick decidiu que algumas das ideias eram tão “engraçadas” que não poderiam ser levadas a sério, e dai veio um dos filmes com maior conteúdo de humor negro já vistos: Dr. Fantástico (1964). E acredite, ambos -critica e público- amaram o filme.
E foi assim que o diretor descobriu que poderia ter a liberdade de fazer o projeto que quisesse, tanto que seu próximo projeto foi uma colaboração com o autor de ficções científicas Arthur C. Clarke em uma das obras mais ambiciosas do cinema, 2001 – Uma Odisséia no Espaço (1968)

 

Considerado por muitos como o melhor filme de ficção da história, A Odisséia… chegou a definir padrões para o gênero que são vistos até hoje. O filme é talvez a melhor obra de Kubrick, cuidadosamente orquestrada a cada panorama e segmento, com uma direção beirando a perfeição e trilha sonora talvez ultrapassando o limite da mesma.
A Odisséia no Espaço é tudo e muito mais e Kubrick poderia ter parado por ai, se ele não quisesse mostrar que consegue se superar ao filmar o “adorado pelo universo” Laranja Mecânica (1971), que nem precisamos explicar muito, mas foi tão controverso quando Lolita devido o uso da “ultra-violência” e uma das mais polêmicas cenas do cinema: O estupro ao som de “Cantando na Chuva”
a famosa cena do tratamento Ludovico (o ator Malcolm McDowell 
sofreu com essa cena, chegando a ter a córnea cortada) 
Depois veio Barry Lyndon (1975), que mudou um pouco o rumo do diretor, mostrando um amadurecimento na sua temática e comprometimento: os atores chegavam a repetir inúmeras vezes a mesma tomada sem pausas para chegar ao nível de perfeição requerido por Kubrick.
E mais problemas vieram assim que o diretor recebeu noticias de que o grupo terrorista IRA o declarou um possível alvo devido filmar algo na Irlanda envolvendo “militares”. A produção mudou-se para outro pais, mas a necessidade de privacidade e segurança resultou a Kubrick ser um recluso desde então, mas não iria deixar de filmar, e logo em seguida precisava de um projeto.
Kubrick recusou dirigir uma sequencia para O Exorcista, então decidiu fazer seu próprio filme de terror, uma adaptação de um livro de Stephen KingO Iluminado (1977). O filme ficou marcado na memória de todos devido além da direção, a atuação de Jack Nicholson interpretando Jack Torrence, o pai maluco com machado querendo matar o filho. King chegou a dizer quer não gostou da adaptação, além de reclamar de Kubrick, que ligava o tempo todo para o escritor em horas inapropriadas.
HI LOYID!
Passaram-se uns 10 anos antes que fosse lançado seu próximo filme. No meio tempo, Kubrick se casou e teve filhos, além de remodelar sua casa e tudo o mais. Ao voltar a ativa, filmou uma das maiores críticas ao lado negro da humanidade em um de seus filmes mais famosos e aclamados pelo público e critica, Nascido Para Matar (1987).

Depois de tudo, Kubrick queria filmar algum de seus projetos congelados, mas encontrou problemas em todos. Estava encaminhando para as filmagens de Inteligência Artificial, mas acabou decidindo por De Olhos Bem Fechados (1999), que estrelava o casal Tom Cruise Nicole Kidman. Depois de 2 aos de produção o filme foi lançado e mesmo com a opinião do publico e critica divididos, Kubrick considerou este o seu melhor filme até o momento.
Finalmente, devido aos avanços tecnológicos, Kubrick começou a trabalhar em A.I., mas logo veio a triste noticia, o diretor sofreara de um ataque cardíaco fatal enquanto dormia em Março de 1999.
Mas isto não foi o fim, após a morte de Kubrick, o diretor Steven Spielberg revelou que os dois eram amigos e frequentemente discutiam sobre seus filmes e que A.I. era sempre mencionado; Kubrick teria sugerido a Spielberg dirigir devido ao estilo. Baseado em tudo isto, Spielberg dirigiu o último projeto de Stanley Kubrick: A.I. Inteligência Artificial (2001).
Nunca saberemos como seria a versão totalmente Kubrick do filme, mas podemos  agradecer por seus filmes e ideias que até hoje fazem parte da imaginação de todo amante da sétima arte.
Stanley Kubrick
1928 – Forever
Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s